(86) 3194-5100

Psicólogos da Humana Saúde falam sobre cuidados com a saúde mental

Profissionais abordam a importância da prevenção e de lidar com as pressões do dia a dia sem tanta cobrança.

Tamanho da letra:
A
A
Publicado em: 20 de setembro de 2019
A psicóloga Polliana Melo abordou a necessidade do equilíbrio emocional e do autoconhecimento.

Correria, compromissos que não podem esperar, relações conturbadas, competitividade, mercado de trabalho exigente, pressão social de todas os lados e, em meio a tudo isso, uma pergunta martelando na cabeça: há espaço para mim nesse mundo? E outra surge: como faço para lidar com tudo isso?

“Para encara toda essa pressão, com as cobranças atuais, é importante buscar o equilíbrio emocional, o autoconhecimento, saber quem somos, qual o nosso papel e o que queremos da nossa vida. Essa busca pelo equilíbrio do mundo externo com o interno é um desafio necessário e que temos que enfrentar. Por isso, precisamos cuidar da nossa saúde física e mental. Daí a importância de reconhecer nossos limites e procurar ajuda quando necessário”, afirmou a psicóloga Polliana Melo do espaço Humana Clinc da Humana Saúde.

E completa: “Ter saúde mental é sentir-se bem consigo mesmo e nas relações com o outro. É a capacidade de lidar de forma positiva com as adversidades, é conseguir administrar sua vida e suas emoções (boas e ruins) de forma assertiva”, frisa a psicóloga.

Segundo os profissionais de psicologia do Humana Clinic, o mais importante é não fechar os olhos para o que incomoda, ficar atento às insatisfações e procurar ajuda profissional como forma de prevenir e também de tratar doenças que vêm se tornando comum no nosso tempo como depressão, ansiedade e mesmo o Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC).

image
O psicólogo Kaio Rodrigues chama atenção para os sinais de alerta em saúde mental.

O psicólogo Kaio Rodrigues, que também faz parte da equipe, ressalta que a questão da saúde mental é um dos temas mais relevantes da atualidade. “A saúde mental, sem dúvida é a questão mais importante do ser humano, pois se ela não vai bem, todo o resto também não vai andar bem. Então é necessário sempre avaliar suas relações sociais e de trabalho, para que se possa perceber se existe nesses âmbitos sinais de ansiedade ou de desmotivação”, destaca.

De acordo com ele, o alerta pode vir na forma de alterações repentinas de comportamento, entre outros sintomas. “Mudanças repentinas de comportamentos, fatores estressores recentes que não estão sendo contornado, a presença de doenças crônicas, perda do prazer em atividade rotineiras, entre outros são sinais, não podem deixar de se ser avaliados quando se trata de saúde mental. Na presença de um ou mais desses sintomas é necessário uma intervenção multiprofissional, com a avaliação de um psicólogo e/ou psiquiatra”, esclarece.

Redes sociais

Outro alerta feito pelos profissionais é sobre a questão do uso das redes sociais. “Hoje em dia vivemos a era digital, onde existe uma grande pressão social de cobranças e de padrões. É a busca do corpo perfeito, do sucesso, das viagens, dos relacionamentos perfeitos, da vida perfeita e idealizada por muitos. E, apesar de sabermos que grande parte do conteúdo exposto em redes sociais é exagerado ou produzido com finalidade comercial, muitos se angustiam por não ter o que a sociedade cobra, o que a era digital exige. Por isso mesmo, é preciso ter cuidado com o uso abusivo dessas redes”, alerta Polliana Melo.  

Setembro Amarelo

O Setembro Amarelo é uma campanha nacional de prevenção ao suicídio, questão diretamente relacionada à saúde mental e ao modo de vida atual.

Segundo a psicóloga da equipe da Humana, Nairene Silva, é importante ficar atento aos sinais e procurar ajuda profissional, no caso de psicólogos e psiquiatras, ou ainda de grupos de prevenção que estão preparados para ouvir quem está em sofrimento psíquico.  

image
A psicóloga Nairene Silva abordou a questão do autocuidado e de grupos de ajuda.

“O primeiro passo que considero fundamental é estar sensível a essas mudanças de comportamento, como, por exemplo, observar que alguém que passa a ficar mais tempo no quarto, isolado, dormindo muito, que não gosta mais de fazer coisas que antes gostava, a presença de insônia, irritabilidade, medos. É preciso ficar atento a tudo isso. Ao identificar alguma dessas mudanças, é fundamental acolher e ouvir a pessoa e não julgar ou reclamar, mas ter uma escuta acolhedora”, explica a profissional.


Autocuidado

Nairene frisa ainda que o autocuidado também é importante. “As pessoas e os jovens em geral tem muito acesso à informação. É importante então orientá-los sobre a relevância de cuidar da própria saúde mental. Ficou triste, está deprimido, está sentindo muita ansiedade, irritado com tudo, é o momento de parar e conversar com alguém”, orienta.  

Procure ajuda

Ainda de acordo com a psicóloga Nairene, é fundamental procurar ajuda quando a angústia ou um sentimento que lhe aflige está presente. “A presença de alguém próximo é muito importante para quem está em sofrimento. Em Teresina, temos diversos locais de atendimento, temos os Centros de Atenção Psicossocial (CAPs), o Hospital Lineu Araújo, o Centro Débora Mesquita, a Clínica das Faculdades de Psicologia e ainda o Centro de Valorização da Vida (CVV), cujo número é o 188. O fundamental é saber que a ajuda é possível e que podemos contornar, superar e mesmo aprender a conviver com as adversidades da nossa vida”, conclui.

Por Catarina Santiago

Comentários

Nenhum comentário cadastrado. Seja o primeiro!





Deixe seu comentário

Nome*
Email*
Verificação*
Seu comentário*